Topo

Notícias


Twitter não esconde postagens racistas de Trump

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump - Kevin Lamarque/Reuters
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump Imagem: Kevin Lamarque/Reuters

Do TAB, em São Paulo

16/07/2019 14h04

No final do mês de junho, o Twitter anunciou que faria um controle maior sobre postagens de políticos que violassem as regras da plataforma, mas fossem de interesse público. Na teoria, os tuítes apareceriam com um aviso de conteúdo sensível. Na prática, a plataforma decidiu que tuítes racistas e xenofóbicos do presidente americano Donald Trump não violam suas regras e, portanto, não precisam do aviso.

No último domingo (14), Trump atacou mulheres democratas do congresso americano dizendo que elas deveriam voltar para os países "catastróficos" de onde vieram. Apesar de não ter ter citado nomes diretamente, o presidente se referiu às deputadas Ilhan Omar, Rashida Tlaib, Ayanna Pressley, e Alexandria Ocasio-Cortez.

Todas são cidadãs americanas, apenas Omar nasceu na Somália e se naturalizou nos Estados Unidos na adolescência. Todas também são negras.

"É tão interessante ver mulheres congressistas 'progressistas' democratas que vieram, originalmente, de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, os piores, mais corruptos e inaptos de qualquer lugar do mundo (se é que têm um governo funcional) agora em voz alta e cruelmente dizerem ao povo dos Estados Unidos, a maior e mais poderosa nação da Terra, como nosso governo deve ser administrado. Por que elas não voltam e ajudam a consertar os lugares totalmente quebrados e infestados de crime de onde vieram? Então volte e nos mostre como se faz. Esses lugares precisam muito da ajuda de vocês, podem ir rápido. Tenho certeza de que Nancy Pelosi ficaria muito feliz em arranjar viagens gratuitas!", escreveu o presidente.

Nancy Pelosi é presidente da Câmara dos Representantes. Em resposta, ela afirmou que o plano de Trump sempre foi tornar a América branca de novo, em alusão ao slogan de campanha do presidente.

Segundo as regras do Twitter, não é permitido promover violência, ameaçar ou assediar outras pessoas com base em raça ou nacionalidade. Tecnicamente, o discurso de Trump viola esta regra, mas não foi sinalizado pela rede.

"Trump tem repetidamente visado a congressista Omar com insultos anti muçulmanos sobre odiar os EUA, ser terrorista e estrangeira. São discursos antiquíssimos, bem documentados e usados para desumanizar, degradar e reforçar os estereótipos negativos", disse Madihha Ahussain, ativista do grupo de direitos civis Muslim Advocates ao Gizmodo.

"Se os tweets do presidente não violam as políticas do Twitter e não merecem um aviso, o que merece?", questiona.

Fique por dentro de comportamento e cultura seguindo o TAB no Instagram e tenha conteúdos extras sobre inovação, tecnologia e estilo de vida.

Mais Notícias