PUBLICIDADE

Topo

Trabalho sexual na pandemia: homens e mulheres aderem ao camming

Equipe TAB e MOV

Do TAB

03/08/2020 04h00

A pandemia de Covid-19 afetou todas as categorias de trabalho, incluídas as de sexo. Com o entretenimento sendo o primeiro setor impactado pelo distanciamento social, profissionais do sexo estão entre os primeiros a sentir o golpe econômico.

Com isso, categorias de trabalho sexual virtual ganharam mais atenção do que nunca. Nesse ecossistema da internet, camgirls, dominadoras sexuais e performers pornôs coexistem vendendo fotos, vídeos e fazendo videochamadas com clientes — todos batalhando em um mercado competitivo para garantir a grana no final do mês.

Neste minidocumentário produzido por TAB e MOV, as camgirls Emme White e Pocahontas, a dominatrix e antropóloga Paula Antropoalien e o garoto de programa e ator pornô Christian Júnior contaram como suas atividades mudaram com o isolamento social e o aumento da procura de sexo virtual em sites especializados.

Este material faz parte do especial de TAB sobre o Futuro do Sexo. Leia ou assista mais conteúdos inéditos a seguir:

HQ A nova lei do desejo

No mundo de pouco contato, Rita Wu quer unir sexo e saúde com um vibrador

AMP Eles estão entre nós: como funciona um robô sexual

Dominadoras fazem videochamadas para escravos sexuais a distância

VÍDEO O sexo pós-pandemia: "vamos transar menos, mas gozar mais", diz Michel Alcoforado

Acompanhei uma festa de sexo pelo Zoom — e senti saudade de aglomerações