PUBLICIDADE
Topo

Funkeiro MC WC repete feito e viraliza com música sobre o BBB

MC WC e seu amigo MC Victor em show no Rio de Janeiro - Divulgação
MC WC e seu amigo MC Victor em show no Rio de Janeiro Imagem: Divulgação

Felipe Maia

Colaboração para o TAB, de Bilbau (Espanha)

06/02/2021 04h01

O letrista mais habilidoso do "Big Brother Brasil" não é a cantora Karol Conká, o rapper Projota, o poeta Lucas Koka, o sertanejo Rodolffo ou a funkeira Pocah. A julgar pela caneta veloz, o título vai para MC WC. Ele nem faz parte do grupo que ocupa a casa da Globo, mas tornou-se um cronista afiado dos personagens emblemáticos do programa. O MC fez sucesso em 2020 com as músicas "Tropa do Prior" e "Tropa do Babu" e esse ano repete o feito com "Calma Juliette" e "Vou Expulsar Karol Conká".

De Nova Iguaçu (RJ), ele conversa com a reportagem do TAB logo pela manhã. Era um dos poucos momentos de calma na rotina de marido, pai de duas crianças pequenas, produtor musical e um olho na TV. Ele conta que começou a assistir ao BBB ano passado. Agora, é almoço e pay-per-view, jantar e pay-per-view, café e pay-per-view.

Em 2021 ele não estava afim de se meter a fazer música. Na época de "A Fazenda" tinham lhe pedido canções, um "Tropa da Jojô", vá lá. Nada feito. "Mas eu gostei da Juliette desde o primeiro dia, aí fiz uma música!", diz o MC. "Mermão, o bagulho virou uma febre."

Em menos de uma semana, "Calma Juliette" alcançou 200 mil visualizações em um único canal do YouTube, sem contar as replicações pela plataforma, postagens no Twitter e todas as dancinhas no TikTok e no Instagram.

A música foi parar na transmissão do programa, cada vez mais alerta ao diálogo entre redes sociais e o reality. Alguns já conheciam a voz que canta "calma, Juliette, o cara só foi educado" — o cara é o ator Fiuk, que parecia ter encantado a jovem paraibana em poucas horas.

Quando MC WC lançou "Tropa do Prior" ainda não tinha empresário, nem tinha verba. "O reality show foi uma forma de conseguir engajamento", explica o artista. Como gostava do ator Babu, fez ainda "Tropa do Babu". O impacto não foi para tanto, mas deu fôlego para seguir adiante. A segunda tentativa teve como protagonista o fiel escudeiro do ator, o arquiteto Felipe Prior — atualmente réu em processo por acusação de estupro.

"Tropa do Prior" bombou com um refrão que enaltecia as supostas habilidades de jogo do participante. Virou hit. O trajeto de ascensão teve o de sempre: milhões de compartilhamentos e vídeo com coreografia do Neymar. O alcance da vigésima edição do programa também ajudou — transformada em final de Copa do Mundo por um país que começava a entrar no confinamento. "Recebo até hoje mensagens por causa dessa música", diz WC. "E tem muitos fãs do Prior que me seguem."

Tão típica quanto a escalada para o topo foi a chegada, no estouro da música, de empresários, agentes e toda a gente ao redor do MC. Firmou contrato com uma produtora carioca, fez novas músicas, tentou emplacar outras faixas na pista. Não deu certo. Em meio à pandemia, sem palcos e sem shows, o jeito foi se agarrar ao sucesso e ao auxílio. "'Tropa do Prior' me segurou na pandemia", conta o MC, contando o dinheiro que pingava dos acessos à sua canção. "E o auxílio, quando era R$ 1.200, ainda dava para segurar, mas depois?"

O BBB 21 era promessa de alívio para o artista. Mental, ao menos, já que ele não contava repetir o estouro de 2020. E deu o contrário: o MC voltou a fazer sucesso com uma música inspirada pelo programa, e o reality não se confirmou como entretenimento sem pretensão. Os debates que martelam à exaustão termos como "cancelamento" e os conflitos e embates psicológicos de alguns participantes deixaram o clima pesado até para quem está do outro lado da TV. MC WC não passou ileso.

"Imagine que o cancelamento é uma arma potente. Você vai liberar essa arma para qualquer um?", questiona o artista. "Tem certos assuntos em que, sim, o cancelamento pode ser usado. Mas hoje em dia, qualquer coisa é cancelamento. As pessoas não ouvem o outro lado."

O funkeiro MC WC - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Para ele, é questão de tempo até que a casa do BBB tenha seus lados, seus grupos. A análise continua: a dupla Rodolffo e Caio tem grandes chances de avançar na disputa, Sarah mostrou ter personalidade e Lucas, obliterado por grande parte do grupo, merece redenção. "Ninguém é perfeito, todo mundo erra", diz o MC. "O que conta é se você está disposto a mudar."

Se o tema é Karol Conká, porém, não tem conversa — tem música. Assim como grande parte do público que vem se manifestando nas redes sociais, WC também tem a rapper como mais novo desafeto. Por isso fez música para ela. Em "Vou Expulsar Karol Conká", ele canta para a artista: "Mete o pé agora e de brinde leva a Lumena".

"Vou trabalhar mais essa música antes de lançar a versão completa, e já tem a da Juliette, que eu fiz de coração", diz o MC, que sonha com um paredão protagonizado pelas duas participantes. Sem abusar do talento, ele promete não fazer mais músicas para o BBB. "Mas para o ano que vem, pode ter de novo."