PUBLICIDADE

Topo

Podcast

Caoscast

Conversas sobre comportamentos e tendências que fazem a cabeça dos brasileiros


CAOScast: Ninguém vive sem desejos e fantasias, mas você trabalha pelo futuro?

31/12/2020 04h01

"Onde você se vê daqui a cinco anos?" Se a pergunta clássica da entrevista de emprego te faz suar frio, você não está sozinho. No 8° episódio de CAOScast veiculado aqui em TAB, o antropólogo Michel Alcoforado conversa com os pesquisadores Tiago Faria e Rebeca de Moraes, além da head de pesquisa da Consumoteca, Marina Roale, sobre como as diferentes gerações encaram o futuro.

"O negócio é que ninguém vive sem pensar no futuro, seja ele qual for. Porque ninguém vive sem fantasia, sem desejo, e a gente usa o passado para projetar isso", constata Moraes, que tem um pé na psicanálise (ouça acima partir de 1:31). Mas você é do tipo que se sente mais confortável em planejar os próximos dois anos ou a aposentadoria?

CAOScast vai ao ar todas as quintas-feiras.

Para facilitar as coisas, Marina Roale deu nome aos bois e separou as ansiedades: futurinho e futurão. O primeiro é aquele mais próximo, de até cinco anos, mais ou menos, e que você está construindo e decidindo desde já. "É difícil falar desse futuro", confessa a pesquisadora, aos 27 anos. "É fácil falar que o carro vai voar, robôs vão fazer tal coisa pra gente. É fácil pensar no futuro que nunca vai chegar. Mas esse, com data para chegar, é pesado", diz ela (a partir de 4:15).

Com as tecnologias mudando cada vez mais rápido, fica difícil também dizer quais tendências vão se manter, à la Uber, e quais vão flopar rapidinho, como rolou com o Google Glass, por exemplo. Enquanto Alcoforado confessa que pirou nos óculos inteligentes, os três pesquisadores contam que não davam muita bola para o Uber quando ele surgiu.

"A gente vai usando essas novas tecnologias e a nossa relação com o futuro vai mudando por completo. Sobretudo, acho que uma das coisas que mais me dá medo hoje é que eu não sei do que eu vou precisar no futuro. A ideia de básico de 5 anos atrás é completamente diferente da ideia de básico daqui a três anos", reflete o antropólogo (a partir de 9:00).

Viver dia após dia, sem remoer o passado nem se afobar com o futuro, não é tarefa fácil — é só olhar para os níveis epidêmicos de depressão e ansiedade da atualidade. Mas quais podem ser os benefícios de se pensar mais para frente? Dica: seu bolso agradece. Ouça o episódio completo de CAOScast acima para fazer as pazes com seu eu futuro.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Caoscast, produzido pela Consumoteca e distribuído por TAB, em plataformas como Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Deezer e YouTube.