PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Caoscast

Conversas sobre comportamentos e tendências que fazem a cabeça dos brasileiros


CAOScast: Lembra do Tiago Iorc? É tempo de pensar no 'novo macho'

Mais Caoscast
1 | 25

04/02/2022 04h01

Está no Big Brother Brasil mas também nos aplicativos de paquera e nas conversas de bar. Onde acaba a sinceridade e começa a culpa pelo legado machista nas condutas do homem heterossexual contemporâneo? O que é afinal o "neomacho"?

Se tem debate, se tem discussão, é tema para a galera do CAOScast aprofundar. Com a premissa de que, sim, o tal homem heterotop está vivendo um momento de desconstrução.

"Qualquer homem que participe deste momento histórico está intrinsecamente permeado de valores machistas. O que me parece um lugar possível e sincero é se dizer um homem em desconstrução", avalia o pesquisador Tiago Faria (a partir de 4:45).

Para ele, esse machismo não se restringe aos heterossexuais e mesmo os bem-intencionados estão sujeitos, o tempo todo, ao deslize.

E a dica para todo homem que queira evitar cair nos erros, alerta Tiago, é observar o quanto "a gente é rodeado por privilégios" e encarar os avanços como "um caminho, uma batalha coletiva".

Por outro lado, é preciso redobrar o cuidado com as armadilhas discursivas. É o caso do "fenômeno do heterotop do bem", como bem lembra Vanessa Vieira, estrategista do grupo Consumoteca.

"É o tom da internet hoje. Heterotops do bem não querem ser silenciados", afirma Vanessa (a partir de 7:10).

"Esse homem que vem tentando camuflar a velha masculinidade com alguns novos valores e tentando com isso criar um novo conceito de masculinidade possível a partir dessa crítica da toxicidade atribuída ao homem médio", define Tiago (a partir de 9:15).

No fundo, o que se vê é uma mera atualização. Se antes a desculpa usada era de que seria impossível lutar "contra os instintos" e que qualquer calhordice machista era uma inevitável expressão da natureza biológica, agora a tese vigente é quase a de vitimismo.

A "culpa" por qualquer deslize é atribuída à formação social, aos valores "de criação", do meio cultural. "Sai do 'sou assim porque a natureza é assim' e começa a cair no 'sou assim porque a vida me ensinou a ser assim'", diz Tiago (ouça em 15:00).

"Agora eles se tornam vítimas da própria masculinidade, como se não tivessem culpa de serem desse jeito. Se não podia piorar, piorou de vez", critica a pesquisadora Carmela Moraes (a partir de 16:00).

Para se aprofundar nesse debate muito atual, não deixe de ouvir o episódio completo de CAOScast no player acima.

Este e os outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir CAOScast, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e YouTube.