Topo

Comportamento


Tons pastel e mensagens positivas: #autocuidado é tendência no Instagram

Reprodução/Instagram @obviousagency e @inspireoutras
Imagem: Reprodução/Instagram @obviousagency e @inspireoutras

Luiza Pollo

Da agência Eder Content, colaboração para o TAB, em São Paulo

01/08/2019 04h01

Em abril, Camile Pasquarelli, 26, tentava se recuperar do fim de um relacionamento longo e buscava mensagens positivas na internet. Inspirada em páginas como a da ilustradora Lela Brandão, ela decidiu criar um perfil no Instagram para postar frases inspiracionais e pensamentos com foco em superação, acompanhados de ilustrações delicadas. A ideia era dar força a outras mulheres que estivessem passando pela mesma situação que ela.

Surgiu assim o Inspire Outras, que poderia ter se perdido em meio ao algoritmo da rede social e ficado restrito a alguns poucos amigos e conhecidos de Camile. Acontece que, em pouco mais de três meses, a página acumulou mais de 50 mil seguidores.

Não dá para saber ao certo o que fez o perfil bombar tão rápido. Camile garante que não usa nenhuma técnica elaborada e nem "compra" seguidores. Pode ser seu jeitinho expansivo e fácil de conversar refletido nos posts, mas pode ser outra coisa: o perfil se encaixa perfeitamente em uma grande tendência no Instagram, o autocuidado.

Em meio a críticas sobre as consequências negativas que tem na saúde mental dos jovens, a própria rede incentiva e promove o conteúdo good vibes com ações como a #YouGotThis (você consegue, ou você está no controle da situação, em tradução livre), uma hashtag semanal para destacar posts desse tipo.

No geral, os posts das páginas de autocuidado e autoconhecimento são frases simples que não vão mudar a sua perspectiva sobre o universo. Mas esse nem é o objetivo, garantem as administradoras de algumas contas, entrevistadas pelo TAB. Camille conta que a página ajudou tanto que nem sobrou tempo para ficar mal com o fim do relacionamento. "Nessa de desenhar e procurar frases para inspirar outras pessoas, eu acabei me inspirando. É uma via de mão dupla."

Posts em tons pastel com frases de empoderamento e combate à ansiedade e ilustrações em linhas minimalistas estão por toda a parte. Se você já viu algum no seu feed, ele tem grandes chances de ser da @obviousagency. O perfil é gerido por uma equipe específica da Obvious e não traz publicações comerciais.

nota mental: ?foda-se? também pode ser autocuidado, tá?

Uma publicação compartilhada por Obvious (@obviousagency) em


"A ideia é ser o conteúdo do seu feed para dar um respiro e você se sentir abraçada", afirma Marcela Ceribelli, diretora da plataforma de conteúdo Obvious. Aos 29 anos, ela entende os anseios - bons e ruins - dos millennials por fazer parte desse grupo, e também os da geração Z, porque trabalha com tendências.

"A depressão e a ansiedade são as doenças do século, e quando a geração mais nova chegar aos 30, vai ser uma epidemia. A procura pela saúde mental vai ter que ser de todo mundo", reflete. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a depressão é uma das principais causas de adoecimento entre os jovens. Marcela deixa claro que não tem pretensão de curar ninguém: "Não podemos ser levianos com o que estamos fazendo, não vamos prometer curar a depressão de ninguém".

Ajuda profissional

Enquanto se propõe apenas a fazer o seguidor respirar e pensar um pouco na vida fora das redes sociais, esse tipo de post não faz mal a ninguém, avalia a psicóloga Maluh Duprat, do Laboratório de Estudos de Psicologia e Tecnologias da Informação e Comunicação da PUC São Paulo.

"Eu acho que vai um pouco na linha da autoajuda. É algo que tem a proposta de dar um alento num momento de dúvida ou inquietação, típico principalmente da adolescência", afirma Maluh. Além disso, "vai ao encontro do hábito de procurar se identificar com outras pessoas pelas redes sociais", diz a psicóloga.

O problema, diz Maluh, é o autodiagnóstico. "Quando a pessoa lê alguma coisa e decide, por exemplo, que tem ansiedade, ou depressão, pode passar a se conduzir dentro desse padrão", afirma a psicóloga. Nesse caso, há um risco de se transformar em doença sentimentos que são naturais. "Todo mundo tem altos e baixos."

Mas faz sentido promover o cuidado da mente e a paz interior numa rede social como o Instagram? Publicar na internet mensagens incentivando a desconexão parece um pouco contraditório, mas Marcela não vê problema em falar que as redes podem ser tóxicas e avisar as seguidoras para darem um tempinho. "É bem irônico, mas seria uma mentira falar que é saudável ficar no sofá trocando mensagem."

menos ?vê todos os meus stories? e mais ?desce que eu to na portaria?

Uma publicação compartilhada por Obvious (@obviousagency) em

Fique por dentro de comportamento e cultura seguindo o TAB no Instagram e tenha conteúdos extras sobre inovação, tecnologia e estilo de vida.

Comportamento