PUBLICIDADE
Topo

Primeiro editor da Wikipédia lusófona 'enjoou' de mediar conflitos

João Mário Rodrigues Miranda, o primeiro editor da Wikipédia lusófona - Arquivo pessoal
João Mário Rodrigues Miranda, o primeiro editor da Wikipédia lusófona Imagem: Arquivo pessoal

Edison Veiga

Colaboração para o TAB, de Bled (Eslovênia)

11/12/2020 04h01

Quando JoaoMiranda chegou à Wikipedia, era tudo mato. Códigos de html estavam lá, à espera de textos, conteúdo, informação. Em 22 de maio de 2001, 11 dias depois de a enciclopédia ganhar uma versão lusófona, o usuário JoaoMiranda se cadastrou como editor voluntário. Segundo o português José Mário Pires, um dos atuais administradores da plataforma, Miranda foi o primeiro a se registrar.

JoaoMiranda é o nome de usuário de João Mário Rodrigues Miranda, 49, engenheiro químico português nascido em Moçambique e pesquisador da área de mecânica dos fluidos na Universidade do Porto. Se hoje a Wikipédia em português é esse manancial de mais de 1 milhão de artigos escritos, editados e atualizados voluntariamente por 6 mil usuários ativos, Miranda foi o sujeito que, tal e qual um Denis Diderot (1713-1784) contemporâneo, deu início aos primeiros verbetes.

Na época ele fazia doutorado e, conforme relata, passava muito tempo em fóruns de internet, redigindo, comentando, debatendo. Chegou a pleitear um espaço na Nupedia, considerada o embrião da Wikipédia. "Tentei participar, mas aquilo não funcionava muito bem. Era muito burocrática."

Nupedia, idealizada pelos mesmos Jimmy Wales e Larry Sanger que depois criariam a Wikipédia, foi fundada em março de 2000. Também era colaborativa mas, ao contrário da versão que pegou, exigia um trabalho muito mais qualificado dos editores, além de um sistema de revisão por pares, semelhante ao adotado por revistas científicas. Essa morosidade fez com que ela ficasse para trás — acabou descontinuada em 2003, quando a Wikipédia já decolava no mundo.

Encher o mundo de verbete

Miranda não demonstrou surpresa, em uma manhã de novembro, ao ser apontado como o primeiro editor da Wikipédia em português. Após uma troca de mensagens pelo Twitter, ele aceitou conversar com a reportagem do TAB por Zoom. "Faz bastante tempo", repetiu algumas vezes, reiterando um "não me lembro" a cada pergunta mais incisiva sobre os detalhes das primeiras entradas. "Sei que em dada altura eu era uma das poucas pessoas [lusófonas], era a única que estava permanentemente a editar a versão portuguesa", prossegue.

No início, o desafio era preencher os espaços, mesmo. A versão em inglês lançou mão de enciclopédias já em domínio público digitalizadas para o pontapé inicial. "Em Portugal, não encontrei nada equivalente", diz Miranda.

Ele conta ter tentado criar informação a partir de tabelas. Preenchia dados sobre países, por exemplo, e isso ajudava a ter mais conteúdo. Criar tabelas na Wikipédia de então era um desafio de programação; não havia os templates de hoje, já automatizados para qualquer leigo que queira colaborar.

Outra ideia era traduzir o conteúdo da Wiki em inglês. Isso podia ser feito, concorda, mas também era algo difícil. "Traduzi algumas coisas, mas dava trabalho. As traduções automáticas eram muito piores que as de hoje", comenta.

Ele se esforça mas não lembra do primeiro verbete que criou. Há um problema nos registros da fase inicial da Wikipédia lusófona — os arquivos de 2001 a 2003 estão todos corrompidos. Também administrador atual da plataforma, o brasileiro Rodrigo Padula de Oliveira conseguiu levantar a informação, a pedido de TAB. "Pensa-se que tenha sido o artigo 'Planeta', criado pelo João Miranda em 21 de julho de 2001", aponta.

De 2003 a 2007, ano em que deixou de colaborar, Miranda criou 555 páginas e realizou 4.913 edições na plataforma. No sistema, o tópico de autor de JoaoMiranda está vazio, com o seguinte recado: "Este(a) editor(a) está inativo(a) há muito tempo, portanto sua página de usuário (ou parte dela) foi esvaziada e arquivada por uma questão de segurança e de respeito à privacidade do usuário. A comunidade de editores da Wikipédia agradece pelo tempo dedicado ao projeto". São dele os textos originais dos verbetes de temas diversos como a linguagem de programação "C++", a moeda "Dólar" e "Poluição". Ele também criou o artigo "Puta", "Demografia de Portugal" e "Universidade do Porto" — sua alma mater.

Ele nasceu em Moçambique por acaso. Sua família acabou se mudando para lá porque o pai foi trabalhar na construção da usina hidrelétrica de Cahora Bassa, inaugurada em 1974. "Depois, a barragem ficou a ser gerida por portugueses, e meu pai esteve lá até meados dos anos 1980", recorda-se.

Quando a família Miranda retornou a Portugal, instalou-se em Braga. A mudança para o Porto, onde vive até hoje, ocorreu por causa da universidade.

Agora enjoei

O desinteresse de Miranda pela Wikipédia foi gradual. O auge de sua produção foi em 2004, mas seus trabalhos foram caindo até que, de 2007 em diante, ele deixou de participar. O engenheiro conta que foram dois os motivos para essa retirada.

Primeiro, o tempo. "Fazia mais edição e controle de vigilância. Era necessário automatizar as páginas com informações básicas. Criei um script para essas páginas, de forma que algumas atualizações fossem realizadas automaticamente", recorda.

Mas, quanto mais a Wikipédia crescia, mais complicado ficava o trabalho dos editores. Miranda lembra que era "extremamente cansativo" mediar conflitos, sobretudo quando era preciso colocar limites nos novos autores a fim de que eles respeitassem as regras e mantivessem a imparcialidade. "Quando já não estava a fazer um trabalho que fosse diferenciador, achei que não valia a pena continuar."

Houve também uma polêmica desgastante. Começou a surgir um movimento de usuários que defendiam uma cisão da Wikipédia lusófona, de forma a haver uma versão brasileira e outra portuguesa. "Meu objetivo inicial sempre foi manter algumas das regras da origem. E a língua [no caso dessa possível separação] é a mesma. Dividir esforços não faz sentido. A Wikipédia portuguesa sempre foi mais fraca do que a inglesa, porque tem menos pessoas para trabalhar. E isso seria ainda pior se começássemos a fazer duas wikipédias."

Essa polêmica deixou-o um tanto desgostoso de participar do projeto. Em 2007, o blog político blasfemias.net, do qual foi um dos fundadores, já era grande o suficiente em Portugal para que ele se expressasse por ali. Ao mesmo tempo, as atividades como pesquisador tomavam seu tempo.

Autodefinido como liberal, Miranda foi colunista por quase 10 anos do jornal Diário de Notícias. No Blasfêmias, é cada vez mais autor bissexto — nos últimos três anos, publicou apenas três artigos.

Português brasileiro

Considerando essa mal-resolvida questão sobre rachar ou não a Wikipédia lusófona, a plataforma hoje não tem um sotaque muito brasileiro? "Sim, sim. É o que eu noto. Mas é inevitável: os brasileiros são muito mais, então é inevitável que tenha um sotaque brasileiro nos textos", afirma.

Incomoda? Ele hesita por alguns instantes antes de responder. E praticamente admite. "Talvez incomode", pontua. "Todos nós tivemos e temos de nos adaptar. Acho mais importante a qualidade mesmo do conteúdo. Se o conteúdo for bom, isso não se nota. Se o conteúdo for bom não vamos atentar às diferenças de sotaque relevantes."