PUBLICIDADE

Topo

Influencer de WhatsApp, Estevão Ferreira conquistou web 'assinando' áudios

Estevão Ferreira, estrela do WhatsApp, comemorando seu aniversário de 51 anos  - Arquivo Pessoal
Estevão Ferreira, estrela do WhatsApp, comemorando seu aniversário de 51 anos Imagem: Arquivo Pessoal

Luiza Sahd

Colaboração para o TAB

24/07/2020 04h00

Quem ainda não recebeu áudios de Estevão Ferreira no WhatsApp deverá receber nas próximas semanas. O recifense — que agora vive em Vertentes, também em Pernambuco —, já era uma personalidade excêntrica na região. Agora, virou paixão nacional.

A vida de Estevão deu uma virada na primeira semana de maio, quando viu seus áudios assinados com o bordão "beijos de luz, Estevão Ferreira" viralizarem. O ex-segurança passou a receber mais de 3 mil mensagens de fãs por dia em seu celular e conta que, ultimamente, não consegue sair na rua sem tirar fotos ou dar autógrafos. "Muita gente me pede autógrafo na cueca, acredita?", diverte-se.

A estrela de Estevão brilhou mais forte quando o produtor musical e de humor Pedro Haus pediu autorização para vazar áudios do grupo de WhatsApp "Cristalinos", em que Estevão encontrava companhia nas madrugadas insones. "Percebi que Estevão era muito engraçado, que faria sucesso, e que as trocas de áudio no grupo faziam bem a ele, que está se tratando de uma depressão. Ele é uma pessoa muito boa, muito simples, um poeta e um filósofo", conta Haus — que agora é um de seus empresários — ao TAB.

Do vazamento autorizado dos áudios para a fama foi um pulo: Estevão já apareceu na televisão, rádio, planeja lives e tenta dar conta das entrevistas. Nos grupos de WhatsApp e em outras redes sociais, muita gente compara suas histórias à jornada do herói e diz invejar a vida de Ferreira. Na última semana, ele esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Assinando áudios

Na tarde desta quinta-feira (23), Estevão Ferreira pausou as comemorações de seu aniversário para conversar com o TAB por videochamada. Vestindo um look de camisa metalizada azul feita por sua estilista — que faz looks "cheios de luz" sob medida —, Estevão contou que é leonino como seus grandes ídolos: Madonna, Fafá de Belém, Ney Latorraca e Elba Ramalho, que estampa um pôster pendurado na sala de sua casa em Vertentes, onde mora com a esposa, com quem mantém um relacionamento não monogâmico de idas e vindas há 25 anos.

Bissexual orgulhoso, Estevão Ferreira conta que sempre foi "apocalíptico, muito boateiro" e nunca conseguiu ser fiel. "Todo mundo que topou se relacionar comigo sabia que eu era um traíra, porque eu dizia logo 'olha, eu não pertenço a ninguém, eu pertenço ao mar'. Pintou, gostei, rolou." Em seus áudios mais compartilhados, ele fala de fazer amor em lanchas, bebendo Campari com cerejas e ouvindo Madonna, de quem admira especialmente a música "La Isla Bonita". Para a comemoração dos 51 anos de Estevão, um de seus novos empresários, João Albuquerque, providenciou cerejas da capital, já que a iguaria favorita da estrela do WhatsApp não é vendida na pequena Vertentes, que fica a 160 km de Recife e tem cerca de 20 mil habitantes.

Sobre a escolha de uma carreira tão sisuda para alguém que se veste e vive de forma tão divertida e desconstruída, Estevão conta que quis ser segurança por adorar armas -- e que chegou a exercer o ofício no Aeroporto de Recife durante 25 anos. Em um de seus áudios famosos, ele conta que já conseguiu impedir um avião de decolar dizendo que havia um traficante a bordo. O motivo: após uma briga com um namorado que queria ir embora da cidade, Estevão queria fazer as pazes e impedir que seu amor partisse naquele voo. A empreitada deu certo.

Foi também atuando como segurança que Estevão criou o hábito de assinar suas mensagens de voz. "A gente usava rádio no trabalho, então eu sempre precisava dizer meu nome a cada mensagem trocada com 'QAP, Estevão Ferreira, essas coisas'. Daí, quando comecei a usar áudio no WhatsApp, mantive o mesmo costume."

Apesar de contar com entusiasmo que já chutou porta de cabaré montado em um cavalo, no meio da madrugada, porque queria comprar cigarros, Estevão também tem sua faceta dengosa. Filho único, fala com muito carinho da mãe, que sofreu de Alzheimer, e por quem ele deixou a carreira na capital para assumir os cuidados familiares. Durante a conversa com TAB, Estevão conta também que um de seus namorados tirou a própria vida há pouco mais de dez anos. Agora, com amparo da esposa, dos novos fãs e da nova equipe, Estevão Ferreira não promete criar juízo nos próximos anos, diz que não tem tempo de ter medo da Covid-19 mas que está cuidando direitinho da própria saúde mental, fazendo acompanhamento com psicólogo e psiquiatra.

Acompanhar o grupo de WhatsApp dos fãs de Estevão não é só diversão: membros desavisados que chegam em busca de áudios exclusivos também deparam com figurinhas e vídeos pornôs, escatologias e uma chuva de piadas homofóbicas. De acordo com Haus, um dos moderadores dos grupos, é humanamente impossível manter a ordem ali, por conta da quantidade de gente que chega através do link fixado no Instagram. Sobre as piadas machistas que encontra no grupo, Estevão Ferreira é categórico: "Não me afeta porque sou dono do meu próprio ego. E o conselho que dou para os homens héteros é que eles saiam do armário. Tem tantos casadinhos me cantando... Não existe homem que não tenha seu lado gay, não existe homem hétero, existe homem mal cantado!"

Marque o seu amigo pra tomar campari com você e dar a carga ao som de Madonna.

Uma publicação compartilhada por Estêvão Ferreira (@estevaoferreiraof) em

Influencer de WhatsApp

Todas as redes sociais que conhecemos têm seus próprios influencers. Embora alguns grupos — sobretudo, de humor — se empenhem para produzir e distribuir conteúdo viral de áudio e vídeo no WhatsApp, é difícil medir numericamente o sucesso dos influencers no caso do aplicativo de mensagens instantâneas, já que a troca de conteúdos é privada.

"Se você observa um influencer também em ascendência, como o Mário Júnior no TikTok, é fácil usar ferramentas de análise para ver quantas pessoas curtiram ou compartilharam o conteúdo produzido por ele. Quando falamos de métricas no WhatsApp, os números somem. É o que chamamos de dark social — quando fica difícil monitorar esse engajamento", explica Jacqueline Lafloufa, jornalista e autora do livro "Influenciadores digitais: uma jornada". A especialista também lembra da importância e do alcance dos conteúdos compartilhados via WhatsApp durante a última paralisação nacional dos caminhoneiros, em que todo o movimento foi coordenado por meio de mensagens trocadas em grupos de profissionais da categoria.

Mas o que Estevão Ferreira pode ganhar com tanta exposição, além do carinho dos fãs e de cerejas? Questionado sobre como monetizar a fama da estrela dos áudios apocalíticos, Haus foi reticente: "Não sabemos ainda. A ideia, por enquanto, é massificar os áudios dele. Mais para frente, ele pode fazer publicidade, mas o importante por enquanto é a gente fazer companhia ao Estevão e ajudar com a questão de saúde que ele enfrenta."

Ana Passarelli, especialista em influencer marketing e COO da agência Brunch, acredita que Estevão Ferreira não deveria se preocupar com ferramentas de medida de seu sucesso por enquanto. "Ele é uma figura de entretenimento, então, para ganhar dinheiro, ele precisa se entender como marca, o que as pessoas adoram nele e, a partir disso, as possibilidades são infinitas. Ele pode fazer podcast, vídeo, grupos próprios e pagos de áudio, o céu é o limite. Se agarrar a número de seguidores na internet é precarizar o próprio negócio dos influencers", avalia. Sobre a possibilidade de fazer campanha para marcas de bebidas, a especialista considera a chance remota, já que a maioria delas prefere não associar sua imagem a pessoas que circulem "bicadas" com frequência. De novo, Estevão Ferreira parece ser vanguardista demais para o tempo em que vive.