PUBLICIDADE
Topo

'Vai beijar na boca!': cristãos frequentam escolas de amor e relacionamento

O casal Renato e Cristiane Cardoso - Igreja Universal/Reprodução
O casal Renato e Cristiane Cardoso Imagem: Igreja Universal/Reprodução

João Diniz

Colaboração para o TAB

12/03/2021 04h00

No Templo de Salomão, toda quinta-feira, às 10h, às 15h e às 20h, dezenas de pessoas aparecem para receber conselhos amorosos cristãos. Não importa se são casados, viúvos, divorciados ou solteiros, evangélicos ou não, a Terapia do Amor, como é chamado o encontro, acolhe a todos aqueles que "estejam enfrentando momentos difíceis no relacionamento ou simplesmente queiram aprender mais sobre essa área tão importante da vida", como explica o aviso no site da igreja Universal.

O público é grande. Tão grande que, de palestra, a terapia virou programa de TV e podcast -- com mais de 1900 episódios do tipo tira-dúvida.

"O senhor não se esquece dos seus filhos, daqueles que o senhor gerou", dizia o pastor Renato Cardoso, na abertura da última palestra de 11 de fevereiro. Algumas pessoas na plateia concordavam, gesticulando com a cabeça. "E aqui, agora, diante do teu altar, oramos por todos aqueles que têm sido esquecidos, rejeitados, desprezados com o pior tipo de desprezo que existe, que é o desprezo da parte de quem a gente ama", completava.

A oração a Deus era um pedido pelo "homem que tem sido desprezado pela mulher que ama" e pela "mulher que se sente como um objeto, como uma qualquer, a última das criaturas, que se sente feia e inferior, que se sente invisível". Diante dos fiéis que o acompanhavam em prece, o pastor afirmava: "Que este ano ainda, senhor, muito em breve, essa pessoa possa olhar para trás e dizer: 'O senhor lembrou de mim'."

O encontro semanal é uma espécie de palestra. Começa com a oração e depois segue com depoimentos de casais. Dali vem o tema da noite, que naquela quinta-feira era um exclamativo "Pare de procurar um culpado!". Era um dia para se falar da desobediência de Adão e Eva e da incapacidade das pessoas de reconhecerem seus erros -- o calcanhar de Aquiles na vida conjugal, explicavam os pregadores.

"O problema da desculpa é que quando você não reconhece o seu erro, você não muda", orientava a pastora Cristiane Cardoso, que é casada com Renato e que conduz com ele o encontro. "Quem sofre mais com a desculpa é quem está dando a desculpa", avisava.


Um amor renovado

Foi quando reconheceu seus próprios erros que Jane acredita ter achado o milagre pro casamento. Ela chegou à Terapia do Amor para resgatar de alguma forma o relacionamento com Edvan, pois o marido havia saído de casa depois de tanta briga entre eles. O problema era "falta de diálogo", explicou a mulher. "Eu não tinha paciência com ele. Ligava o tempo todo, cobrando presença, mas quando ele chegava em casa, eu o recebia muito mal. Meu casamento estava destruído."

Naquela noite, conhecemos uma história de reviravolta. Foram dois anos afastados, e Edvan só voltava para casa uma vez por semana, em visita aos três filhos do casal. "Fui pro mundo", lembrava ele, se referindo aos tempos de "vícios" da separação. Desapaixonado, "não conseguia nem olhar pra ela -- até o cheiro não era mais agradável; era um peso enorme".

A história contada no altar era um testemunho, uma prova de como a fé aliada a uma técnica de coaching são possíveis de "curar" crise amorosa.

Jane recebeu um convite para conhecer as palestras do Templo de Salomão, e foi. Disse ter entendido ali que o problema do casamento era ter colocado o marido acima de Deus. Quando entrou na igreja, pensava que "a mudança tem que acontecer nele", mas logo soube que ela "precisava mudar, precisava de ajuda, não estava sendo uma esposa ideal". Então "comecei a mudar".

O pastor interveio, acrescentando: "Você tinha que mudar, e ele também. Mas você vindo [à terapia], enxergou o seu problema".

Jane, curada, convenceu também Edvan a ir ao Templo. "Numa palestra, uma palavra entrou na minha cabeça: 'sim, sim; não, não'. E aquilo transformou minha vida, meu casamento, meus filhos. Tomei uma decisão naquele momento", encerrou o marido. Reatado, o casal nunca mais voltou a falar da briga, porque, contam eles, estava superada.

Perto das 22h, o pastor Renato voltaria a falar mais uma vez sobre culpa para os fiéis, antes de se despedir do encontro com outra oração. Como Jane e Edvan, era necessário abrir mão de desculpas e fazer sacrifícios, dizia o pregador. "Quando ela [a pessoa] sacrificar seu eu, suas desculpas, eu tenho certeza, meu pai, que ela vai receber tudo aquilo que tem desejado por tanto tempo e não tem conseguido", frisava.

Saíram todos incumbidos de pensar sobre aquilo pelos próximos 7 dias -- até a nova terapia.

EAD dos solteiros

Constava no anúncio em rede social: "Tudo o que você precisa saber para entender as fases de um relacionamento". É um EAD de relacionamento, oferecido pelo pregador católico Hugo Santos, ex-integrante da comunidade Colo de Deus, com o mesmo objetivo da Terapia do Amor: cuidar de namoros e casamentos — aqueles que ainda nem existem, aqueles que existem, os que estão à beira da falência ou os que precisam ser reavivados. O apoio custa R$ 80.

O pregador católico Hugo Santos, ex-integrante da comunidade Colo de Deus - Reprodução/ Youtube - Reprodução/ Youtube
O pregador católico Hugo Santos, ex-integrante da comunidade Colo de Deus
Imagem: Reprodução/ Youtube

"Não é curso, na verdade. É uma aula de vida", antecipa o professor, no primeiro vídeo das 22 aulas disponibilizadas numa plataforma online (elas são divididas em dois módulos). O "manual de vida", explica Santos, "pode dar certo, pode não dar". Depende, evidentemente, das histórias e da vontade de duas pessoas envolvidas no relacionamento -- ou três pessoas, afirma ele, se referindo a Deus como o outro elemento do triângulo.

Mais teórico do que a Terapia do Amor, o Manual do Namoro é catequético. Braço de movimento ligado à Renovação Carismática Católica, o vocabulário do curso de Hugo Santos é mais juvenil e prega um "amor santo" a partir dos princípios básicos cristãos. Entre eles, a finalidade procriadora do casamento.

No primeiro módulo (ao qual o TAB assistiu), ele aborda temas "pré-namoro", e discute, indiretamente, um assunto caro à Igreja Católica contemporânea, que é a falta de estímulo dos jovens pelo matrimônio.

A juventude que não quer se casar é uma preocupação do próprio papa Francisco. Em 2015, ele chegou a falar sobre isso em pregação, afirmando que uma das razões para essa desistência é a dificuldade que as pessoas têm de permanecer juntas. Segundo o papa, com divórcios cada vez mais frequentes, as crianças se habituaram a entender que casamento tem tempo determinado -- desânimo para jovens pensarem em construir um projeto de família duradoura.

À fonte original

Decidir viver um relacionamento é também se conhecer, é o que ensinou Hugo Santos. De acordo com ele, esse processo de conhecimento leva a amadurecer expectativas e vontades, depende também das formas de amizade que você cultivar, os ambientes que você frequenta e os valores que você constrói. "A gente tem que recorrer à Bíblia em todas as nossas dúvidas. A Bíblia é nosso manual de vida", explicava o professor na primeira aula.

O pregador católico Hugo Santos, ex-integrante da comunidade Colo de Deus - Divulgação - Divulgação
O pregador católico Hugo Santos, ex-integrante da comunidade Colo de Deus
Imagem: Divulgação

"O homem foi feito à imagem e semelhança de Deus, e foram feitos o homem e a mulher. Hoje (...) a gente tem implantado na nossa sociedade a ideologia de gênero, que distorce a forma primeira que Deus criou", falou o professor se referindo à liberdade de orientação sexual e identidade de gênero. Segundo ele, as pessoas precisam "ir para o [objetivo] original [da criação], aquela que torna homem e mulher 'complementares'."

No final do primeiro módulo, o "estudante" está pronto para o passo seguinte -- e, pelo visto, desejado pela maioria daqueles que fazem as aulas: o namoro. "[Chegou] Aquele momento em que está nos 45 do segundo tempo, e você está na parte do pênalti, com a bola, o gol na frente, o cenário está armado. Se você fizer gol, vai começar a namorar. De repente, você olha a história toda que você passou, os tempos de amizade, e precisa tomar uma decisão", anima Santos.

Dali por diante, são duas escolhas: ou não está pronto para namorar ou decide pelo compromisso. "Não escute pressão de ninguém", pondera. "Deus preparou coisas grandiosas para aqueles que o temem", acrescenta. Quem decidir pelo "sim" terá um novo módulo de aulas dedicadas a isso, uma nova preparação para quem provavelmente seguirá para o matrimônio, a formação da família que, diz o professor, "é o berço onde nasce a salvação".

"Cê entende a importância do matrimônio? A gente vai falar sobre ele, isso é lindo. Então se prepare, parabéns. Chegamos ao final do nosso curso? Vai beijar na boooca! Ou não."